JORGE MAUTNER

Jorge Mautner é inclassificável: uma energia artística pura, que flui através de palavras escritas, ditas, cantadas, recitadas, pelo choro do violino e por danças e performances únicas. Autor de músicas inigualáveis como Maracatu Atômico, revisitada nos anos 1990 pelo manguebeat de Chico Science & Nação Zumbi, e Guzzy Muzzy, ambas do disco homônimo de 1974 que contou com direção musical de Gilberto Gil, o músico e escritor combina inventividade com simplicidade, inspirado por uma lisergia natural.

Nascido Jorge Henrique Mautner em 17 de janeiro de 1941, no Rio de Janeiro, filho de pais fugidos do Holocausto, foi apresentado ao candomblé quando criança, por sua babá, e iniciou-se no violino por influência do segundo marido da mãe. Com 15 anos de idade, começou a escrever seu primeiro livro, Deus da chuva e da morte. A obra, publicada em 1962, ganhou um Prêmio Jabuti e formou, com Kaos (1964) e Narciso em tarde cinza (1966), a Mitologia do Kaos.

Nos anos 1970, Mautner foi morar em Londres, onde se aproximou de Caetano Veloso e Gil. De volta ao Brasil, colaborou com O Pasquim e conheceu Nelson Jacobina, seu principal parceiro musical. Escreveu músicas como O Vampiro, interpretada por Caetano, e Lágrimas Negras, lançada por Gal Costa.

Nos últimos anos, lançou Eu não peço desculpa, em 2002, em parceria com Caetano Veloso, e Revirão, em 2007. Aos 71 anos, Jorge Mautner continua ativo, criando em sua casa no Rio de Janeiro e apresentando essa energia artística que não cessa para plateias do Brasil inteiro.

Jorge Mautner é inclassificável: uma energia artística pura, que flui através de palavras escritas, ditas, cantadas, recitadas, pelo choro do violino e por danças e performances únicas. Autor de músicas inigualáveis como Maracatu Atômico, revisitada nos anos 1990 pelo manguebeat de Chico Science & Nação Zumbi, e Guzzy Muzzy, ambas do disco homônimo de 1974 que contou com direção musical de Gilberto Gil, o músico e escritor combina inventividade com simplicidade, inspirado por uma lisergia natural.<br />
<br />
Nascido Jorge Henrique Mautner em 17 de janeiro de 1941, no Rio de Janeiro, filho de pais fugidos do Holocausto, foi apresentado ao candomblé quando criança, por sua babá, e iniciou-se no violino por influência do segundo marido da mãe. Com 15 anos de idade, começou a escrever seu primeiro livro, Deus da chuva e da morte. A obra, publicada em 1962, ganhou um Prêmio Jabuti e formou, com Kaos (1964) e Narciso em tarde cinza (1966), a Mitologia do Kaos.<br />
<br />
Nos anos 1970, Mautner foi morar em Londres, onde se aproximou de Caetano Veloso e Gil. De volta ao Brasil, colaborou com O Pasquim e conheceu Nelson Jacobina, seu principal parceiro musical. Escreveu músicas como O Vampiro, interpretada por Caetano, e Lágrimas Negras, lançada por Gal Costa.<br />
<br />
Nos últimos anos, lançou Eu não peço desculpa, em 2002, em parceria com Caetano Veloso, e Revirão, em 2007. Aos 71 anos, Jorge Mautner continua ativo, criando em sua casa no Rio de Janeiro e apresentando essa energia artística que não cessa para plateias do Brasil inteiro.<br />
  • JORGE MAUTNER

    JORGE MAUTNER Jorge Mautner é inclassificável: uma energia artística pura, que flui através de palavras.

    ver mais
  • JARDS MACALÉ

    JARDS MACALÉ Um dos maiores violonistas do Brasil, Macalé é um radical livre. Sua criatividade o levou a criar músicas ímpares.

    ver mais
  • TONY TORNADO

    TONY TORNADO Com sua imagem imponente e sua empatia ainda maior, Tony Tornado faz parte da cultura popular brasileira.

    ver mais
  • Luiz Melodia

    Luiz Melodia Prestes a completar 50 anos de carreira, Luiz Melodia continua criando imensamente e envolvendo fãs da música.

    ver mais
  • Elza Soares

    Elza Soares Com mais de 50 anos de carreira, a cantora continua encantando plateias dentro e fora do país.

    VER MAIS
  • WILSON DAS NEVES

    WILSON DAS NEVES Lendário baterista da música popular brasileira, Wilson das Neves começou a tocar em conjuntos nos anos 1950.

    VER MAIS
  • TULIPA RUIZ

    TULIPA RUIZ Tulipa Ruiz tem um timbre de voz único e presença de palco cativante ao interpretar.

    ver mais
  • DORGAS

    DORGAS A insatisfação de quatro garotos do Rio serviu de combustível pra tentar buscar um novo caminho pra música brasileira.

    ver mais
  • FORGOTTEN BOYS

    FORGOTTEN BOYS Forgotten Boys são os radicais livres necessários na cena musical brasileira dos anos 1990.

    ver mais
  • Karol Conka

    Karol Conka Karol Conka põe sua sensibilidade na ponta da língua para criar rimas que constroem um mundo fabuloso.

    ver mais
  • Garotas Suecas

    Garotas Suecas Garotas Suecas é uma banda que combina temperos regionais com ingredientes importados para criar uma sonoridade global e, ao mesmo tempo, genuinamente brasileira.

    VER MAIS
  • Emicida

    Emicida Um dos artistas mais prolíficos da nova geração do rap nacional.

    ver mais